sexta-feira, 29 de março de 2013

Manual de Sobrevivência para quem tem amigos distantes

Deviam ter-me deixado o manual antes de saírem... Percebo isso agora.
Sim, porque vocês foram-se embora! Deixaram-me aos poucos, sem que estivesse preparada e sem que vos pudesse impedir. Não pediram consentimento e eu também não vos disse que não...

Na verdade, fui ingénua ao pensar que a distância nada muda, não podia estar mais enganada. Sinto a vossa falta todos os dias, sinto o quanto me fazem falta a toda a hora. Quando estão por perto marcamos encontros fugazes que mal dão para saciar a minha sede das vossas palavras, nessas raras ocasiões, parece que o mundo vai acabar no instante seguinte e não temos sequer tempo para nos deleitarmos com cada riso ou confidência.

Deixo-vos um pequeno manual de sobrevivência para nos ajudar nesta conquista diária:

1) ligar a toda a hora... só "porque sim", só porque nos lembrámos, só porque não esquecemos!

2) falar como se nada tivesse mudado, como se tivéssemos falado ontem...

3) mostrar aos amigos próximos que não sentimos falta daqueles que estão longe... Eventualmente se dissermos isto 9.658.748.659.001 vezes, nós próprios vamos começar a acreditar. (Acreditar na mentira não significa que a situação se torne mais fácil...)

4) convencermo-nos que é temporário e que vamos a estar juntos diariamente outra vez...

5) viver para o próximo encontro

6) manter as vossas fotos espalhadas pela casa, como se estivessem sempre de olho em mim, ora a felicitar-me ora a repreender-me... (A consciência é uma coisa fantástica, não é?)

De certeza que existem mil e um truques não mencionados aqui e talvez me possam ajudar...

Sinto a vossa falta e nem consigo expressar quanto gostava que estivessem aqui sempre, para convosco partilhar o meu mundano dia-a-dia!

"Todas as riquezas do mundo não valem um bom amigo." Voltaire




2 comentários:

Lois Lane disse...

Parece que foi ontem, mas o nosso primeiro dia de faculdade foi há quase 13 anos... No entanto parece que foi há uma eternidade que terminamos o curso e que cada um seguiu para a sua terra. Ainda assim, de cada vez que nos encontramos, é como se não tivesse passado mais de um mês! Quando nos juntamos voltamos a ser aquele grupo de amigos que em tudo arranjava motivo para fazer uma festa! Rimos tanto tanto, chorámos algumas vezes, passamos juntos a fase da nossa vida que mais recordações nos trará e da qual vamos ter mais histórias para contar!
Agora vais casar (Oh pá, passou assim tanto tempo desde que éramos ainda muito 'pequeninas' para sequer pensar nestas coisas???) e vamos estar juntos novamente, naquele que será um dos dias mais felizes da tua vida. E das nossas também!!! :)
Morro de saudades!

maria morder disse...

E eu morro de saudades tuas! Qualquer dia vou ao Porto raptar-te e trazer-te para aqui! Só não sei como vou conseguir desviar o Douro até ao Alentejo... (Só para que não sintas falta... :D ) Vou "armar-me" em engenheira e pensar nisso!...